domingo, 17 de março de 2013

REFLEXOS DA AMIZADE

Nota 6,0 Estreia do ator David Duchovny na direção e como roteirista rende drama razoável

Desde que o seriado “Arquivo X” acabou o ator David Duchovny tem tentado encontrar seu espaço no cinema, mas sem sucesso. Talvez cansado de viver a sombra de seu personagem televisivo e não encontrando bons projetos na praça, em 2004 resolveu fazer ele mesmo o seu próprio filme ideal. Lançado diretamente em DVD no Brasil, Reflexos da Amizade é o primeiro trabalho escrito e dirigido por ele que também protagoniza a obra cuja forma narrativa descarta a rapidez hollywoodiana para adotar o estilo mais emotivo e reflexivo próximo do cinema tradicional europeu. O roteiro escrito em apenas seis dias conta a história de Tom Warshaw (Duchovny), artista plástico que leva uma vida boêmia em Paris, mas precisa urgentemente reatar laços com sua esposa Coralie (Magali Amadei) e Tommy (Anton Yelchin), seu filho de 13 anos. Para tanto ele começa a resgatar memórias de quando ele tinha a mesma idade do adolescente, período em que morava em Nova York. Ele havia perdido o pai recentemente e sua mãe, a enfermeira Katherine (Téa Leoni), ingenuamente acreditava que qualquer doença poderia ser evitada consumindo grandes quantidades de verduras, assim ela infernizava o filho na hora das refeições. Desde que perdeu o marido, ela oscilava entre momentos de lucidez e outros de insanidade, como resolver usar o banheiro ao mesmo tempo em que o filho tomava banho, além de ter se entregado ao vício dos cigarros e chorar constantemente. Para fugir desse ambiente depressivo e sufocante, o jovem Tom gostava de passar o máximo de tempo em companhia do seu melhor amigo, o deficiente mental Pappas (Robin Williams). Juntos eles faziam entregas para um açougue e juntavam trocados para gastar no cinema e com guloseimas. O que sobrava eles enterravam em frente a uma delegacia feminina, afinal elas já estavam presas e não ofereciam riscos, além de ser uma forma de evitar que o pai de Pappas (Mark Margolis) roubasse o próprio filho a quem ele culpava pela morte da esposa alegando que ela não suportou o fardo de ter um filho retardado.

Um dos passatempos prediletos de Tom era ir até o esconderijo contar o dinheiro, o que o fazia se sentir poderoso, e certo dia ele passa a conversar a distância com uma presidiária. Lady Bernadette (Erikah Badu) estava confinada em uma solitária e a janela de sua cela ficava bem acima do chão, mas mesmo assim ela passou a conversar rotineiramente com Tom sobre assuntos que ele deveria tratar com a mãe. Mesmo não vendo seu rosto, a voz desta mulher inspirava a confiança do jovem que passou a dividir seus problemas e confidencias como o fato de estar apaixonado por Melissa (Zelda Williams). Graças aos conselhos da amiga ele consegue se entender com a garota, mas na mesma noite sofreu uma grande decepção por conta de alguns atos de Pappas, situações que ele ainda era imaturo para compreender, mas o amigo, mesmo com sua deficiência, parecia compreender que chegaria o momento em que eles não poderiam mais manter a amizade e só queria ajudar a apressar esse desfecho. O problema é que seus feitos acabaram deixando Tom em maus lençóis perante o reverendo Duncan (Frank Langella), o diretor da escola, o afastaram de Melissa, deixaram Katherine ainda mais perturbada e provocou uma briga com Lady. Com todo esse histórico de relações de amizade conturbadas, é fácil entender o porquê de Tom não ser compreendido por sua esposa e filho. É justamente voltando a sua terra natal que o desenhista tentará desatar os nós do passado que o impedem de ser feliz no presente. Reflexos da Amizade não é um drama arrebatador, mas possui seus momentos honestos de emoção e até provoca alguns risos graças a Pappas e suas trapalhadas e falas espontâneas. O problema é que a volta do protagonista a Nova York, embora com um belo reencontro com o amigo, não tem a força que o clímax pedia, talvez pelo fato do engessado Duchovny não conseguir injetar a mesma naturalidade da fase jovem a seu personagem quando adulto. De qualquer forma vale uma conferida.

Drama - 96 min - 2004 - Dê sua opinião abaixo.

Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...