segunda-feira, 2 de março de 2015

PROVA FINAL

NOTA 6,0

Basicamente reciclando clichês de
fitas de horror teen, longa tenta um
toque de originalidade investindo na
ficção científica, mas esquece de assustar
O medo de uma invasão alienígena já é um tema para lá de batido no cinema. Em algumas produções o que deveria ser assustador acaba tornando-se cômico com a falta de estrutura dos roteiros e efeitos especiais um tanto capengas. Mesmo assim ainda há diretores e roteiristas que investem no filão e não é que vez ou outra um título cult surge como se caísse literalmente do céu? O horror teen Prova Final é um desses raros casos. A produção não é lá essas coisas, facilmente pode ser criticada pelo espectador comum, porém, é aquele tipo de filme pequeno que alimenta curiosidades. Para quem entende de cinema dois nomes fazem a diferença nos créditos. O roteiro é de Kevin Williamson, na época em alta com a repercussão dos dois primeiros filmes da série Pânico e de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado, mas neste trabalho optou por fugir do universo dos seriais killers e investir na ficção científica. Para tanto, a assinatura assumidamente trash do cineasta mexicano Robert Rodriguez, já venerado por trabalhos como El Mariachi e Um Drink no Inferno, foi essencial. Acostumado a trabalhar com orçamentos baixos e confiar mais na criatividade, o diretor conseguiu criar um típico filme de terror adolescente, mas intrigante, com reviravoltas, atuações acima da média e com vilões que fogem do lugar comum. A trama é praticamente uma releitura do clássico Os Invasores de Corpos, inclusive citado ao longo do filme, e a ação se passa em uma escola secundária do interior dos EUA onde situações suspeitas passam a acontecer de uma hora para a outra. O treinador Joe Willis (Robert Patrick) passa a beber água em excesso e a provocar alunos, a professora Karen Olson (Piper Laurie) muda o jeito de se vestir e se comportar demonstrando uma altivez desconhecida e até mesmo a simpática e politicamente correta Elizabeth Burke (Famke Janssen) se transforma em uma pessoa agressiva e confrontadora. Delilah Profitt (Jordana Brewster), uma patricinha editora do jornalzinho da escola, procurava um furo de reportagem e começa a perceber o estranho comportamento de funcionários do colégio e estudantes, desconfianças também alimentadas pelo nerd Casey Connor (Elijah Wood) que encontra uma estranha criatura no campo de esportes que acredita ser alguma manifestação alienígena que domina corpos.

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...