domingo, 6 de janeiro de 2019

TURMA 94 - O GRANDE ENCONTRO

Nota 5,0 Com humor crítico, argumento sobre aceitação e maturidade cairia melhor a um drama

Ambiente universitário, descolados versus manés, Jack Black no elenco... Tá aí! Eis mais uma comédia escrachada, daquelas que rimos do início ao fim do constrangimento alheio. Quem assistir Turma 94 - O Grande Encontro pensando assim irá se decepcionar. O filme realmente diverte e se apoia em algumas situações vexatórias, mas é uma daquelas produções que tem muito mais conteúdo do que deixa transparecer a embalagem. Fala sério, com um título como o que ganhou no Brasil, de fato, é para espantar qualquer espectador. Escrito e dirigido pela dupla Andrew Mogel e Jarrad Paul, roteiristas de Sim Senhor, a trama tem como protagonista Dan Landsman (Black), um zero à esquerda na época do colégio e que ainda na vida adulta é um frustrado inveterado. Ele não consegue manter contato social com ninguém, a não ser com seus filhos, sua esposa (Katherine Hahn) e seu chefe (Jeffrey Tambor), talvez mais por necessidade do que por prazer. Mesmo não sendo muito popular, ele se impôs a missão de organizar a reunião que marcaria o reencontro dos estudantes após duas décadas. A festa tem tudo para ser um fiasco, a começar porque praticamente nenhum ex-aluno confirmou presença com antecedência e Landsman tem certeza que ele próprio é o problema, todos o detestam. No entanto, ele descobre por acaso que um dos antigos colegas, o popular Oliver Lawless (James Marsden), agora vive em Los Angeles e se tornou um famoso ator. Assim ele decide ir procurar o cara para convencê-lo a participar da festa, assim usando-o como chamariz para bombar o evento, mas é claro que as coisas não saem bem como o esperado. Landsman acaba caindo em um emaranhado de mentiras que ele próprio inventa e sua vida até então pacata muda completamente... E para pior.

Apesar de parecer uma comédia banal como tantas para entreter adolescentes, na realidade o longa é direcionado a um público mais velho, na casa dos 25 aos 40 anos. Nessa faixa de idade é comum as pessoas repensarem suas trajetórias. O que planejavam e deu errado, o que foi concretizado, os planos que precisaram ser adaptados a outra realidade, enfim é um balanço da vida até então. Nos EUA são comuns eventos para reunir as turmas de colégios e faculdades anos depois, motivo de alegria para alguns que podem se gabar de ter realizados seus sonhos, ter um ótimo emprego e formado família, mas também motivos de melancolia para outros que precisam lidar com frustrações, podem não ter profissões de elite e até mesmo conviver com o fantasma da solidão. No fundo é como na época de estudantes. Populares versus manés. O lance do reencontro é ver quem manteve o status, se alguém caiu do pedestal ou ainda se surpreender com aqueles que conseguiram dar a volta por cima. Em meio ao clima nostálgico, amor e ódio se esbarram. Turma 94 - O Grande Encontro (no original "The D Train", o apelido do protagonista no colegial) na realidade traz poucos momentos de humor genuíno e deve decepcionar os fãs de Black, embora há muito tempo ele já mostre que não é apenas um comediante e sim um ator de verdade, com letras maiúsculas. Aqui seus recursos dramáticos são mais exigidos visto que Landsman, no fundo, é um pobre coitado que mesmo adulto tem a inocente esperança de que vai conquistar respeito e amizades oferecendo uma festa perfeita. Ou seja, para ele o importante não é seu caráter, quem ele é, e sim o que ele pode proporcionar material ou emocionalmente aos outros através de um evento inesquecível. Tentando agradar, ele até esquece da família, principalmente do filho adolescente Zach (Russell Posner) que está vivendo um primeiro amor e precisaria de conselhos do pai, e talvez mande às favas até mesmo sua masculinidade, visto que aceita transar com Lawless que topa qualquer parada estando de porre. Apesar do estranho desfecho e da narrativa truncada ao não seguir um gênero específico, salva-se a parceria entre Black e Marsden, afiadíssimos nos diálogos e demonstrando profissionalismo ímpar, principalmente na cena em que passam a noite juntos. Uma sequência que poderia ser constrangedora, torna-se uma tórrida cena de sexo, ainda mais quando nos lembramos que Landsman faz isso por pura submissão. Julgando por tal ângulo, o enredo seria melhor se trabalhasse a temática numa linha mais dramática.

Comédia - 101 min - 2015
-->

TURMA 94 - O GRANDE ENCONTRO - Deixe sua opinião ou expectativa sobre o filme
1 – 2 Ruim, uma perda de tempo
3 – 4 Regular, serve para passar o tempo
5 – 6 Bom, cumpre o que promete
7 – 8 Ótimo, tem mais pontos positivos que negativos
9 – 10 Excelente, praticamente perfeito do início ao fim
Votar
resultado parcial...

Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...