domingo, 30 de junho de 2013

FÉRIAS NO TRAILER

Nota 4,0 Comédia com quê de nostalgia diverte, mas os momentos ruins pesam além da conta

Robin Williams já foi aplaudido em papéis dramáticos como os que teve em Sociedade do Poetas Mortos e Patch Adams – O Amor é Contagioso, aliás ganhou um Oscar de ator coadjuvante por Gênio Indomável. Tentou dar uma guinada na carreira apostando em produções mais sombrias como Insônia e Retratos de uma Obsessão, mas não tem jeito, o ator sempre retorna ao seu porto seguro: a comédia. Por mais que envelheça, ele sempre consegue deixar transparecer em seus trabalhos de humor uma alegria tipicamente infantil e tornou-se um tipo certeiro para viver aquele paizão que toda comédia familiar preza. Em Férias no Trailer, uma variação do saudoso Férias Frustradas, ele dá vida a Bob Munro, um estressado chefe de família que se dedica muito ao trabalho. Decidido a tirar uns dias de descanso, ele quer levar sua esposa Jamie (Cheryl Hines) e seus filhos adolescentes Carl (Josh Hutcherson) e Cassie (Joanna Levesque, mais conhecida como a cantora JoJo) para uma viagem ao Havaí, porém, na última hora Bob decide mudar os planos sem comunicar a família previamente. Para não perder o emprego ele precisa ir a uma reunião no Colorado e então decide matar dois coelhos de uma vez só e levar os parentes junto. A viagem ao paraíso acaba se transformando em um trajeto infernal tendo como veículo um desconfortável trailer que, diga-se de passagem, passeia pelos mais variados ambientes, alternando cenários reais e outros que apelam para terríveis efeitos de computação. O pai faz o que pode para tentar agitar o passeio, mas parece que tudo dá errado e o destino está contra eles. A família então deixa ainda mais evidente que sua desestruturação é um fato consumado, mas passam a rever suas atitudes quando conhecem na estrada outro clã, os adeptos do estilo country Gonickes liderados pelo patriarca Travis (Jeff Daniels), que embora tão atrapalhados e problemáticos quanto os Munros parecem extremamente unidos e encaram a vida com muita mais leveza.

Comédias desse tipo, com confusões em família no centro das atenções, é uma marca do cinema americano, projetos que se tornaram clássicos no melhor estilo sessão da tarde e característicos das décadas de 80 e 90, mas parece que no início do século 21 elas não encontraram um grande público. Embora tenha sido bem recepcionado pelos ianques, o longa chegou no Brasil sem fazer barulho e é facilmente rotulado como algo totalmente descartável. Bem, fazer rir e ter uma boa desculpa para reunir a família no sofá em frente a TV é sempre bom e certamente eram estes os objetivos do diretor Barry Sonnenfeld, um Midas do cinema escapista que assinou, por exemplo, A Família Addams e sua continuação e a trilogia MIB – Homens de Preto. Contudo, sua crônica sobre as desventuras de uma família durante uma viagem passa longe de ser memorável. A avalanche de clichês, que inclui o momento reflexão e redenção familiar antes do previsível final alto astral, deve incomodar a muitos, mas dos males esses são os menores. O que incomoda mesmo em Férias no Trailer é o excesso de piadas que no fundo são extremamente sem graças ou forçadas, algumas escatológicas e outras tentando puxar gargalhadas através de gritarias ou achincalhando o estilo interiorano da família Gonicke, o velho truque de fazer humor na base do choque cultural colocando os burgueses moderninhos estranhando os hábitos rudimentares ou tradicionais dos caipiras e estes, por sua, vendo com estranheza o estilo urbano e estressado de vida dos Munros. Contudo, os dois clãs estão sempre se cruzando e aos trancos e barrancos se entendendo. O roteiro de Geoff Rodkey, em suma, é um apanhado de situações que já vimos outras vezes, sejam protagonizadas por Jerry Lewis, Chevy Chase, Leslie Nielsen, Steve Martin ou até mesmo por Adam Sandler que também já tem ensaiado assumir futuramente o posto do rei das comédias familiares. De qualquer forma, para a criançada ou para os adeptos de um cinema com um quê de nostalgia vale uma conferida com direito a uma providencial mensagem de confraternização no final. 

Comédia - 98 min - 2006 - Dê sua opinião abaixo.

Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...