domingo, 20 de outubro de 2019

STUART LITTLE 2

Nota 5,5 Sem grandes novidades, longa tenta apenas expandir o universo do simpático ratinho

Seguindo a lógica de Hollywood, se bombou nas bilheterias uma continuação deve ser considerada, mas provavelmente Stuart Liitle 2 já estava nos planos quando o primeiro longa do adorável e elegante ratinho era lançado. Com mais verba disponível e o público já ambientado ao universo e apresentado aos personagens principais, o diretor Rob Minkoff, o mesmo do original, investe mais em ação para entreter as crianças, mas sem deixar de lado o clima lúdico e as lições de moral como a respeito da valorização da amizade e solidariedade. Depois de se sentir um Little de verdade e conquistar a amizade do irmão George (Johathan Lipnicki) e a confiança do gato Snowbell (o Bola de Neve), passado alguns anos agora Stuart não quer apenas fazer jus ao seu sobrenome, mas também à espécie humana, afinal ele é um homem um rato? A clássica pergunta parece irônica no caso, mas o público sabe que no universo criado para abrigar o personagem original de E. B. White todos tratam o ratinho como se fosse uma pessoa de verdade, não estranhando nem mesmo o fato dele frequentar a escola com outras crianças, jogar futebol e até dirigir um carro esportivo, obviamente em miniatura, o sonho de consumo de muito marmanjo. Mesmo com essas conquistas, Stuart está incomodado com a superproteção de Eleanor (Geena Davis), sua mãe que não o deixa fazer praticamente nada sozinho ou mais aventuresco, aquele cuidado típico destinado a filhos caçulas. Frederick (Hugh Laurie), o pai, é um pouco mais pé no chão e sabe que chegará um momento que seus filhos precisarão aprender a lidar com as agruras do mundo fora de sua colorida casa, só talvez não esperasse que para Stuart a hora fosse tão cedo. A própria vida se encarrega de colocar obstáculos no caminho de todos e para o ratinho eles caem literalmente do céu materializados na figura da pequena e frágil Margalo, uma passarinha perseguida por um ardiloso falcão (sem nome). Aparentemente ferida, ela é acolhida pelos Littles e torna-se interesse amoroso do camundongo, um caso de amor entre espécies diferentes que pode ser interpretado apenas como uma amizade motivada pelo sentimento de identificação. Ela desejava a proteção que Stuart tinha e ele, por sua vez, almejava a liberdade da ave.

Contudo, Margalo não é tão livre quanto parece. Órfã desde que era um filhotinho, ela sempre ajudou o tal falcão a aplicar golpes e a roubar objetos de valor conquistando a confiança de ingênuas famílias  e assim infiltrando-se facilmente em suas casas. Só que dessa vez a ave acaba se apegando aos Littles e reluta em cometer o crime, assim decide certo dia fugir. De imediato Stuart decide embarcar na maior aventura de sua vida na companhia de Snowbell para resgatar a amiga, de quebra provando aos pais que não é tão frágil quanto aparenta por sua diminuta altura. O roteirista Bruce Joel Robin, vencedor do Oscar por Ghost - Do Outro Lado da Vida, tenta expandir um pouco mais o universo apresentado em O Pequeno Stuart Little seguindo fielmente a base do material, todavia, deixa a sensação que o personagem não teria condições de segurar uma franquia, ao menos de longas-metragens. Mesmo assim, em 2005, ainda foi lançado diretamente para consumo doméstico um filme totalmente animado, caminho que poderia apontar que Stuart poderia ter longa vida estrelando uma série de desenhos com episódios de curta duração. Stuart Little 2 de fato parece ter uma trama espichada ao máximo para justificar sua passagem pelos cinemas, já que nem mesmo podia contar com a propaganda de efeitos especiais de ponta como antes. A técnica para fazer do protagonista e outros animais parecerem reais e completamente táteis já era conhecida e até mesmo superada por outras produções. Mesmo assim, o longa cumpre o que propõe. É divertido, carismático, conta com um irresistível ar retro e exalta a amizade e a utópica ideia de que os malvados sempre serão castigados. Essa ingenuidade é um trunfo da produção, mas também não seria empecilho para explorar assuntos mais complexos. Pode-se dizer que Stuart está na adolescência. Se apaixona, vai para a escola sozinho dirigindo, implica com os cuidados exagerados da mãe e se ressente ao perceber que para ser aceito em um grupo de amigos precisa provar ser sempre o melhor em tudo. A juventude inevitavelmente é uma passagem marcada por diversos conflitos, mas no mundo de Stuart tudo parece ser resolvido em um passe de mágica, afinal a ideia parece preservar ao máximo uma inocência que infelizmente as crianças estão perdendo cada vez mais rápido.

Comédia - 77 min - 2002

-->
STUART LITTLE 2 - Deixe sua opinião ou expectativa sobre o filme
1 – 2 Ruim, uma perda de tempo
3 – 4 Regular, serve para passar o tempo
5 – 6 Bom, cumpre o que promete
7 – 8 Ótimo, tem mais pontos positivos que negativos
9 – 10 Excelente, praticamente perfeito do início ao fim
Votar
resultado parcial...

Nenhum comentário:

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...