sábado, 30 de março de 2013

JUNTOS PELO ACASO

Nota 6,0 Calcado em clichês, comédia romântica se salva por ligeira novidade em sua premissa

Sinopse: Holly Berenson (Katherine Heigl) e Eric Messer (Josh Duhamel) se encontraram para um encontro romântico, mas eles se detestaram logo de cara. Por obra do destino, ou melhor dizendo, de um casal de amigos, ele são obrigados a conviver, pois foram convidados para serem os padrinhos da pequena Sophie (Alexis Clagett). Porém, em um fatídico acidente Peter (Hayes MacArthur) e Alison (Christina Hendricks) acabaram falecendo e seus amigos se tornaram as únicas pessoas próximas da menininha. Agora, Holly e Messer precisam colocar suas diferenças de lado e se unir para o bem da afilhada. Tentando equilibrar suas ambições profissionais e vida social e particular, eles terão que encontrar sentimentos em comum para conseguir viver sob o mesmo teto e a aproximação entre eles será inevitável. Porém, a aparição do doutor Sam (Josh Lucas) na vida de Holly irá despertar o ciúme de Messer.


Comentário: Um dos clichês mais comuns das comédias românticas é investir no ditado que diz os opostos se atraem. Essa máxima é encontrada talvez em nove a cada dez produções do tipo e você já viu inúmeros atores vivendo as desavenças de duas pessoas que não se suportam, mas que por algum motivo acabam se aproximando até que nos minutos finais caia a ficha de que na verdade eles são apaixonados um pelo outro. Então precisam vencer algum obstáculo para antes dos créditos iniciais subirem ao menos um deles se declarar ao outro e trocarem um beijo. Ah, pode também rolar um casamento e até o nascimento de um bebezinho para um happy end bem açucarado. Mas o que falar de um filme que já começa com o nascimento de uma criança e que o homem e a mulher que se odeiam desta vez nem formam um casal de verdade? Embora absolutamente previsível essa pequena premissa diferente é que joga uma luz em cima de Juntos Pelo Acaso, longa dirigido por Greg Berlanti, experiente em seriados de TV. Você já deve imaginar como essa história vai acabar, mas é irresistível não acompanhar essa divertida trama sobre um casal atípico que tem a dura missão de criar uma criança órfã. Geralmente, filmes com bebês engraçadinhos sempre fazem sucesso, independente de o roteiro ser bom ou não, mas no caso o enredo é bacaninha e não deve decepcionar os amantes das comédias românticas. Com muitos momentos divertidos, como as cenas em que acompanham o desenvolvimento do bebê como a primeira palavra ou os primeiros passos, o longa carrega a mensagem edificante de o quanto as pessoas podem amadurecer em situações difíceis e que a superação pode transformar qualquer um em uma pessoa melhor. A ideia principal dos roteiristas iniciantes Ian Deitchman e Kristin Rusk Robinson era fugir dos padrões, por isso o caminho natural de um relacionamento aqui não é respeitado. Primeiro vem o filho e a obrigação, depois o amor e o conhecimento sobre os detalhes da vida e personalidade do outro. O amor à primeira vista dá lugar ao ódio logo no primeiro encontro. Como a primeira impressão é a que fica a convivência forçada do casal de protagonistas não será das mais fáceis. Katherine Heigl já está super acostumada com o gênero após estrelar sucessos como Vestida Para Casar e A Verdade Nua e Crua e forma uma boa dupla com Josh Dushamel que faz um mulherengo que acaba aprendendo a crescer na marra com as novas responsabilidades, todavia, o ator em alguns momentos não aparece muito a vontade no papel. As situações de humor não escapam dos clichês de um casal atrapalhado cuidando de uma criança, mas o carisma dos protagonistas e da bebezinha (na verdade Alexis, Brynn e Brooke Clagett, trigêmeas que se revezaram no papel), tratam de fazer o espectador embarcar facilmente na história. Até o manjado truque do bonitão que aparece de mansinho para conquistar a mocinha e provocar ciúmes no até então indiferente pretendente bate ponto por aqui. Para quem vai ser ou já está sendo pais de primeira viagem, esta comédia é uma excelente opção, até mesmo para tirar algumas lições, mas serve para divertir a todos que buscam uma despretensiosa e leve opção. Em tempo: vale destacar o elenco coadjuvante formado pelos casais Ted (Rob Huebel) e DeeDee (Melissa McCarthy) e Scott (Andrew Daly) e Gary (Bill Brochtrup) que ajudam a dar um respiro à obra e injetar algumas boas piadas.

Comédia Romântica - 112 min - 2010 - Dê sua opinião abaixo.

2 comentários:

Ângela disse...

otima diiica!
adoreii
seguindo o blog!

=)

Apaixonados disse...

Assisti essa comédia, muito boa!
Assim, acharia legal você postar uma lista de 10 filmes favoritos... Que tal? Assim, eu ainda não vi aqui e tive a idéia agora... Então, espero ter ajudado ^^
Abraços
Thai

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...