domingo, 2 de setembro de 2012

A FERA

Nota 1,5 Adaptação de conto clássico para a modernidade e platéia jovem é tola e monótona
 
Sinopse: Kyle (Alex Pettyfer) é considerado o garoto mais bonito da escola e adora se gabar disso, assim ele julga as pessoas pela aparência e não pensa duas vezes antes de humilhar alguém considerado feio. Para completar ele é filho de um famoso apresentador de TV, o que lhe garante certo status. Para lhe dar uma lição, certo dia Kendra (Mary-Kate Olsen), uma feiticeira adolescente, cruza o seu caminho e lança um feitiço. Kyle perde os cabelos e começa a ficar com o corpo marcado por tatuagens e cicatrizes que o deixam feio. Agora ele tem o prazo de um ano para conseguir ser amado de verdade por alguma mulher caso contrário ficaria aquele monstro para sempre. Preocupado com os comentários, o jovem se refugia na casa de campo de sua família e passa a viver com a companhia de dois empregados, mas não demora para que uma moça surja para fazer ressurgir sua vontade de viver. Lindy (Vanessa Hudgens) acaba sendo forçada a viver com Kyle, mas não sabe quem é ele de verdade, pensando se tratar do filho de um amigo de seu pai. 
 

Comentário: Os contos de fada nos últimos anos se tornaram uma grande fonte para alimentar o cinema para adolescentes e adultos. Começaram com as paródias em desenho animado de Shrek e chegaram ao abuso de dois filmes na mesma época resgatarem Branca de Neve e companhia. Mas é no público teen que estas adaptações estão de olho. Pega-se uma história conhecida, rostinhos bonitos, um nome quente do momento para protagonizar e arremata tudo com trilha sonora pop. Quanto ao roteiro, bem, basta uma referência aqui e ali do texto original e muita liberdade para sintonizar o enredo à época contemporânea e pronto. Já está saindo do forno mais um sucesso teen daqueles que é divertido na hora, mas depois cai a ficha de sua insignificância. A Nova Cinderela e A Garota da Capa Vermelha, por exemplo, podem até ser divertidos se compararmos com A Fera, pérola dirigida e roteirizada por Daniel Barnz que tinha boas intenções, mas perde a mão completamente. Querendo discutir o culto à beleza exagerada entre os adolescentes, o roteiro é claramente uma adaptação estapafúrdia de “A Bela e a Fera” e tem como protagonista um jovem que de longe não é transformado em monstro algum, mas sim em uma figura punk daquelas que adoram rock, piercings e tatuagens. O autor do livro homônimo ao filme, Alex Flinn, tentou através da inspiração em um conto popular colocar em discussão a futilidade da sociedade do século 21 alinhavando este gancho a uma história de amor. A sua obra passou longe de ser um sucesso como a série de livros “Crepúsculo” e se dependesse do impulso da versão cinematográfica Flinn se decepcionou com toda a certeza. O filme não é o que se espera de um romance, tem interpretações sofríveis das estrelas teen Vanessa Hudgens e Mary-Kate Olsen (com uma caracterização beirando o ridículo), Alex Pettyfer acha que estando maquiado engana como ator e o desenvolvimento da trama é um tanto insosso, bem como seus diálogos redundantes e vazios. O pouco conhecido ator Neil Patrick Harris é talvez o que se salva do longa com seu personagem cego Will, que na verdade parece enxergar longe. Ele é responsável por algumas boas piadas e talvez só o intérprete tenha tido coragem de expor sua real opinião sobre o projeto: uma bomba que merece ser criticada. Mesmo durando pouco menos de uma hora e meia, esta produção é cansativa simplesmente por não cativar o espectador, não empolgando nem mesmo a introdução. Ok, se você tem entre 12 até uns 17 anos, é do sexo feminino e fã de Robert Pattinson talvez esta seja uma boa pedida que certamente será reprisada à exaustão nas sessões da tarde da TV, isso se a emissora não jogar o filme para as madrugadas para tapar buraco na programação. Quer ensinar boas lições a respeito do amor, respeito e solidariedade superando o culto à beleza e ao status? A Bela e a Fera da Disney continua sendo a melhor opção.
 
Romance - 86 min - 2010 - Dê sua opinião abaixo.
 

Um comentário:

renatocinema disse...

Filme que não me atraiu. Nem trailer, nem poster.....nada

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...